ATA da reunião de comando de greve – 04 de abril de 2012

GUARULHOS, 04 DE ABRIL DE 2012.

Reunião Extraordinária do Comando de Greve dos Estudantes da Unifesp Guarulhos

Abertura dos trabalhos:

Thays – História da Arte
Composição da Mesa
Condução: Juraci – Filosofia
Inscrições: Carla – C. Sociais
Relatoria: Amanda – Letras
Proposta de pauta da mesa:

1. Informes
2. Organização da assembleia geral dos estudantes
3. Debater calendário de atividades conjuntas.
4. Debater proposta de levar a pauta para reuniões dos cursos e comissões.
5. Deliberação sobre convidar um professor para anunciar os informes da assembleia dos professores.
Em seguida, após os debates a pauta se consolidou da seguinte forma:

1. Informes
2. Organização da assembleia geral com duas partes: a) EIXO POLITICO e b)
ESTRUTURAL.
3. Deliberar sobre ato no CEU Pimentas.

Informes e deliberações:

1. Informes:

a) informado sobre paralisação dos professores do dia 11 a 18 de abril de 2012;

b) Informado que o teto do prédio novo de Santos desabou devido as fortes chuvas;

c) Informado que o Reitor se manifestou a um aluno de receber e organizar reunião para discutir a pauta dos estudantes. Ainda não tem data marcada; d) Anunciada que as inscrições para o Departamento de Ciências Sociais foram prorrogadas. Ver site da Unifesp. Também informado que será realizada as eleições para a Congregação do Campus de Guarulhos. Ver site.

2. Organização da assembleia geral com duas partes:

a) EIXO POLITICO e b) ESTRUTURAL. Iniciada as discussões sobre o eixo político: i) Aprovada a proposta de encaminhar a organização do calendário de atividades da próxima semana em conjunto com os professores. Quanto aos eixos da pauta serão debatidos nas comissões, inclusive os pontos que apresentem unidade. Proposto que ocorra a unidade, porque é histórica, no entanto, todos os envolvidos, professores, estudantes e técnicos, caso eles também se mobilizem, mantenham a autonomia das categorias envolvidas; ii) Consensado que o movimento estudantil objetive linhas claras para o momento das negociações. Ou seja, temos que politizar o debate da pauta, em todos os cursos, debatendo as prioridades do movimento estudantil, tem pauta que é questão política e não econômica, por exemplo, a repressão e o processo movido pelo MP contra os 48 estudantes entre outros. Hoje, após assembleia dos docentes que votaram pela paralisação, ficou caracterizado que estes estudantes foram visionários, portanto, não tem sentido punições; iii) Consensado que aguardemos a moção de repudio dos docentes em relação a atos que
entendem ser uma violência contra o direito dos mesmos, em relação a manter o calendário de aulas, entre outros. Aprovado pelo comando de greve que a resposta seja política, evitando internalizar, uma vez que vários docentes se manifestaram contrários a esta moção de repudio, colocando ainda que também e uma forma de violência não acatar a
legitima decisão da assembleia geral dos estudantes que votou a greve. A resposta será elaborada pela comissão de dialogo e comunicação; iv) Aprovado por unanimidade pela plenária do comando de greve, agendar assembleia conjunta de estudantes e professores no dia 18/04/2012, as 14h00min; v) Aprovado por unanimidade do comando de greve convidar um professor para dar informes na assembleia geral dos estudantes que será realizada na data de hoje, 04/04/2012, as 19h00min; vi) aprovado pelo comando de greve que se encaminhe à assembleia geral que os estudantes visitem os demais campi, levando nossos informes e solidarizando-se com os estudantes, professores e técnicos administrativos dos demais campi que também apresentam vários problemas, a exemplo de Guarulhos; vii) Outra proposta que não foi votada, mas de igual importância, é que o movimento estudantil debata a unidade do campus, entre professores, estudantes e técnicos, entretanto, sem abrir mão da autonomia de cada setor; viii) Proposto que se abra um amplo debate sobre a proposta de retirada do campus dos Pimentas, uma vez que há professores favoráveis quando o movimento estudantil já deliberou ser contra, inclusive já fez manifestação publica contra esta proposta; ix) Proposto que seja criada comissões de estudantes para assuntos complexos, como por exemplo: transporte público; projeto do
novo prédio; moradia estudantil; x) proposto reflexão critica quanto à paralisação dos professores, uma vez que reconhecemos ser um ato histórico, nunca ocorrido no campus, no entanto, o movimento estudantil deve refletir sobre se o papel de independência, em caso de propostas divergentes e não consensuais; xi) reforçado a necessidade de construção
de atos em conjuntos nos demais campi, organizado pelos estudantes e professores; xii) discutir e deliberar sobre os representantes eleitos nas comissões, uma vez que vários não estão participando das atividades; xiii) proposto aproximação com os técnicos visando construir unidade emtorno de uma greve geral do campus Unifesp Guarulhos, ix) Quanto a
questão de que seja alterada a atual forma de composição da mesa, após defesa contraria e a favor, a plenária do comando de greve manteve a atual composição da mesa das assembleias por cursos, devendo ser aberto um debate político sobre esta modalidade de composição. EIXO ESTRUTURAL: informado que, caso a assembleia seja realizada no pátio, temos as mesas, som e microfone a disposição. Quanto à abertura dos trabalhos da assembleia geral do dia 04/04/2012, foi consensado o nome da estudante Thays – Historia da Arte para tal.

3. Deliberar sobre ato no CEU Pimentas: após diferentes propostas, o comando de greve deliberou organizar uma comissão para dialogar com a direção do CEU Pimentas, inclusive com oficio se necessário, ao coordenador. Caso o CEU Pimentas continue permitindo atividades do campus Unifesp, será debatido no comando de greve qual encaminhamento, inclusive manifesto na frente desta instituição entre outras, dado que os estudantes votaram pela greve.

One thought on “ATA da reunião de comando de greve – 04 de abril de 2012

  1. PALAVRAS DE UM DITADOR

    As florestas crescem ainda
    Os campos produzem ainda
    As cidades ainda estão de pé
    Os homens respiram ainda.
    Bertolt Brecht

    PALAVRAS DE UMA UNIFESP

    A privatização e locações tem ainda
    Os milhões para o prédio tem ainda
    A repressão academicista-patritística está de pé
    Os estudantes precarizados tem ainda
    Filosofia (da práxis)

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s